TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina : Crenças, Doutrinas e História
Seja Bem-Vindo Testemunhas de Jeová - Ex Testemunhas de Jeová. Clique aqui e cadastre-se para participar


TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Debates e discussões acerca das crenças, doutrinas e a história das Testemunhas de Jeová.

TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 12 Abr 2009 16:44


Estou abrindo este tópico por sugestão do Edmilson, pois discutíamos o tema num tópico que tratava de questão diversa. A discussão girava em torno do tema da lei divina e, particularmente da guarda do sábado.

Na literatura das TJ's muitas vezes fala-se em "lei de Deus", mas isso é aplicado quase exclusivamente às regras supostamente bíblicas de proibição de transfusões de sangue. Mas a expressão "lei de Deus" não se limita absolutamente à questão das regras sobre consumo de sangue. Paulo diz que com a sua mente serve a "lei de Deus" que é aquela que contém o preceito "não cobiçarás" e ele qualificou de santa, justa, boa, espiritual (ver Rom. 7:25, cf. vs. 7, 8, 12, 14, 22). Notem que ele usa o tempo verbal presente o tempo todo. Não está falando de nenhuma antiga lei, agora abolida. . . Tanto que recomenda naturalmente aos GENTIOS de Éfeso e Roma os seus 5o., 6o., 7o., 8o., 9o., e 10o. preceitos (Efé. 6:1-3; 4:25-31; Rom. 13:8-10). Portanto, Paulo nada sabia dessa teologia novidadeira dos neo-antinomistas dispensacionalistas que depois passou a dominar a cristandade protestante, promovendo ideias de "lei abolida" e assemelhadas.

Tanto que os católicos, ortodoxos e mórmons, que não foram influenciados pela lavagem cerebral desses novidadeiros teológicos (que influenciaram Russell também, pois passou a ter maior força exatamente na sua época--fins do séc. XIX), sempre ensinaram normalmente que os 10 Mandamentos seguem sendo normativos aos cristãos em TODOS os seus preceitos. É verdade que tentam justificar a negligência da guarda do sábado alegando que o domingo foi adotado pelos apóstolos em função da Ressurreição de Cristo no domingo, só que as bases bíblicas para tal alegação deixam muuuuuuito a desejar.

Expliquei que TODAS as Igrejas-mãe da cristandade protestante (eu disse T-O-D-A-S, e isso também envolve católicos e ortodoxos) sempre ensinaram que os 10 Mandamentos seguem sendo normativos aos cristãos em TODOS os seus preceitos (eu disse T-O-D-O-S). Isso se constata apenas examinando o que os documentos confessionais dessas Igrejas-mãe, das quais tantas outras derivaram, nos seus capítulos sobre o tema da lei e do dia de repouso. Luteranos, batistas, presbiterianos, metodistas, anglicanos,congregacionais SEMPRE ensinaram que os 10 Mandamentos seguem sendo a LEI MORAL de Deus para a Igreja, distinta das leis cerimoniais, civis, etc., que só se aplicavam a Israel.

Mas para dar um toque de bom humor nessas discussões que às vezes se tornam áridas, que tal essa dentre minhas "historietas didáticas"?


Adão e Eva e o Sábado

Conta-se que Eva um dia chegou para Adão e disse:

- Adão, eu acho que você está me traindo com outra. . .

- Como pode ser isso, querida, se só existe você de mulher no mundo?!. . .

- Pois então como explica que por três sábados, o dia que devemos dedicar ao Criador, você sai dizendo que vai trabalhar. Eu tenho para mim que isso é desculpa para encontrar a outra no fim de semana.

- Não, querida esposa, deixe-me explicar: ocorre que eu também sou profeta e vejo as coisas futuras. E numa de minhas visões aprendi com uns teólogos chamados 'dispensacionalistas' que o sábado é coisa só para os judeus. Então, como há tanta coisa para fazer no jardim, resolvi trabalhar também aos sétimos dias.

- Ah, então é por isso que quando você chega em casa, está tão esgotado que vai logo para nossa cama de folhas macias, pega no sono profundo e nem se dá conta de que tem uma esposa carente do lado. . .

Editado pela última vez por Brother A em 12 Abr 2009 19:55, num total de 1 vezes
Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 12 Abr 2009 17:00


Pois bem, uma vez introduzido o tema para discussão, apenas lembraria ao Edmilson que ele não deu um pio quanto ao questionamento que lhe apresentei, limitando-se a repetir um dos "chavões" prediletos dos neo-antinomistas dispensacionalistas--a frase neotestamentária muito mal interpretada do "estar debaixo da lei". Edmilson, além de não ter dito absolutamente nada em contestação ao que eu expus, volta a repetir o mesmo chavão surradíssimo:

    Quer ver só a incoerência desse raciocínio do estar "debaixo da lei"? Se os adventistas por observarem o sábado se colocam debaixo da lei, então isso se daria numa proporção de 100%, pois admitem que os demais nove preceitos do mesmo código que abriga o sábado TAMBÉM devem ser respeitados.

    Edmilson e outros que pensam como ele sabem que NOVE dos preceitos devem ser respeitados pelo cristãos, menos o do sábado. Então, não há saída--estariam TAMBÉM "debaixo da lei" numa proporção de 90%. Como vê, a diferença termina que não é lá tão grande. . .
E esse tipo de "argumento do silêncio" (de que não consta a terminologia na Bíblia de "lei moral", "lei cerimonial", "lei civil") vale tanto quanto um zero à esquerda, pois na Bíblia também não constam termos tais com onisciência, onipresença, onipotência, teocracia, milênio, Trindade, que tantos religiosos adotam, mesmo sem haver a terminologia específica que respalde tais conceitos.

Bem, o que nosso amigo e outros participantes teriam a dizer a respeito?

Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor alam_cruz em 12 Abr 2009 17:03

Um texto que resume toda essa discussão, são as palavras de Jesus Cristo que resume a Lei mosaica da seguinte forma: "Instrutor, qual é o maior mandamento da lei? Disse-lhe em resposta: Tens de amar a Jeová (ou Senhor, Alá, O Eterno, ...), teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente. O segundo semelhante a este é: Tens de amar o teu próximo como a ti msmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas."
Mateus 22:36-40
Abaixo a Torre de Vigia, por nos ter roubado tanto tempo de nossas vidas e nos ter enchido de falsas utopias! Como é doce o sabor da liberdade e da verdadeira felicidade!
Avatar de usuário
alam_cruz
Forista
Forista
 
Mensagens: 320
Data de registro: 20 Nov 2008 09:19
Localização: Rio de Janeiro

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor André Felix em 12 Abr 2009 17:17

Com certeza esse tópico vai render uma loooonga discussão.
Uma coisa eu sei sobre os que defendem a obrigatoriedade de um dia de "desacanso", dedicado apenas aos assuntos religosos - eles são dominados pela mentalidade sectária. Os sectários costumam ter uma apego descomedido por detalhes sem importância. Isso apenas para parecerem "diferentes", "exclusivos", membros de uma comunidade que realmente reproduz um tipo de cristianismo supostamente "primitivo" e "restaurado" - uma elite.
Mas uma coisa é interessante sobre o sábado. Ele usa como referência o dia terrestre de 24 horas, ou a duração do nascer e pôr do sol. Isso prova que os antigos escritores da Bíblia achavam que a terra fosse mesmo o centro do universo. O todo-poderoso, senhor do vasto universo que conhecemos hoje, usa como referência para descanso o sétimo dia solar desse nosso planeta, um grãozinho minúsculos frente a imensidão do cosmo. Quando a Bíblia foi escritas os "cabecinhas" inspirados dela achavam que a terra era chata como uma pizza, tinha uma teto de metal móvel em formato de abóboda, com o sol a lua e as estrelas grudadas nele!
Em pleno século XXI uma seita se achar melhor que todas as outras apenas por seguir uma bobagem dessas chega a ser um absurdo!
Mas é claro que a maioria dos adventistas não dá mais a mínima para essa "lei do sábado". Eu tenho uma tia, primos e amigos adventistas e sei. Uma coisa é o que aparece nas publicações deles outra é o que eles realmente fazem.
Editado pela última vez por André Felix em 12 Abr 2009 23:24, no total de 2 vez
O pensamento é o ensaio da ação.
Sigmund Freud
André Felix
Desativado a pedido do usuário
 
Mensagens: 3909
Data de registro: 01 Nov 2008 08:42

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Grantynn em 12 Abr 2009 19:16

Brother A

Não sou religioso, não defendo nenhuma crença tampouco torço para o sucesso dos dogmas religiosos, mas a base para a argumentação acima está no tempo da conjugação verbal (presente) e eu fui verificar. Num primeiro momento parece que ele, Paulo, está ratificando a lei, mas quando se lê o contexto a coisa se perde.

Particularmente eu acredito que esse argumento está fragilmente fundamentado

Tem uma coisa que me chamou atenção; é que as colocações de Paulo não foram no sentido de estabelecer uma lei, tampouco estava reafirmando a lei, ele trouxe a lei à tona para dizer o que disse no texto que você mencionou, Rom. 13:8-10:
" 8 A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto que vos ameis uns aos outros; pois, quem ama o seu próximo tem cumprido a lei. 9 Pois o [código da lei]: “Não deves cometer adultério, não deves assassinar, não deves furtar, não deves cobiçar”, e qualquer outro mandamento que haja, está englobado nesta palavra, a saber: “Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.” 10 O amor não obra o mal para com o próximo; portanto, o amor é o cumprimento da lei."

Ele parece dizer: Sejam assim e assado porque a Lei diz isso, aquilo, mais um pouco daquilo, porém se vocês praticarem o amor automaticamente estarão como que cumprindo toda a lei, tem o mesmo "peso" que tinham aqueles que acatavam cada particularidade da lei. Resumindo... dentro do novo conceito, aprendam o que é amor e sejam praticantes... este simples elemento tem a dimensão de toda a lei.

Mesmo porque se a Lei subsistisse, subsistiríam as penalidades da não-observância e do descumprimento. Da forma que foi colocado, devo entender que a lei permanecem e as penalidades foram extintas?
De que valem as luzes da cidade, se no meu caminho a luz é natural! - Hyldon
Avatar de usuário
Grantynn
Forista
Forista
 
Mensagens: 602
Data de registro: 16 Jan 2009 09:00

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 12 Abr 2009 19:19


Primeiro, temos outro "chavão" do anti-sabatismo, típico de quem não percebe que Jesus não está criando NENHUMA NOVA E REVOLUCIONÁRIA LEGISLAÇÃO CRISTÃ, como é o pensamento de tantos, ao proferir o que é conhecido como "Lei Áurea". Essas pessoas nunca se dão conta de que Cristo está apenas reiterando o que Moisés já havia dito. Basta comparar Mateus 22:36-40 com Deu. 6:5 e Lev. 19:18. Aliás, nas Bíblias que trazem aquelas letrinhas de referência para outras passagens paralelas (como a própria Tradução do Novo Mundo), isso se torna por demais claro, pois as letrinhas miúdas em Mat 22:36-40 referenciam exatamente os textos de Moisés referidos.

Os adventistas do 7o. dia ensinam que os quatro primeiros mandamentos do Decálogo tratam de nossa responsabilidade para com Deus, e os seis últimos, idem quanto ao próximo.

Antes deles, os batistas diziam a mesma coisa em sua Confissão de Fé de 1689, mais tarde confirmada por Spurgeon no mesmo documento confessional revisado de 1855.

Antes deles, os presbiterianos ensinavam a mesma coisa na sua Confissão de Fé de Westminster, considerado por muitos como um dos monumentos da fé evangélica.

Antes deles os ortodoxos diziam a mesma coisa.

Antes deles os católicos diziam a mesma coisa.

Antes deles Jesus Cristo disse que desses dois mandamentos--de amar a Deus e ao próximo--dependem "TODA A LEI e os profetas".

Antes dele Moisés já havia dito exatamente isso, pois Jesus ao proferir a "lei áurea" repetia o que Moisés havia dito (comparar Mat. 22:36-40 com Deu. 6:5 e Lev. 19:18).

Antes dele o anjo rebelde foi o primeiro a violar essa lei divina, pois não amou a Deus sobre todas as coisas querendo ser o objeto da adoração universal, e não amou os seus semelhantes angélicos, enganando 1/3 dos mesmos para cumprirem a sua agenda egoísta (Apo. 12:4).

Então, o amor a Deus e ao próximo não são SUBSTITUTOS da lei e sim a sua SÍNTESE.

E as sínteses não suplantam os originais que resumem, como nos "Abstracts" de artigos científicos. O objetivo deles é tornar mais fácil de se conhecer o todo, pela parte que acentuam.

A revista Seleções do Reader's Digest é especialista em condensar artigos e mesmo livros completos, mas o objetivo não é desqualificar, substituir ou diminuir o valor dos originais que sintetizam.

Portanto, isso é importante de entender. Com a Sua "lei áurea" Cristo não estava substituindo nada da lei que declarou não ter vindo abolir, e sim cumprir (Mat. 5:17-19), e sim acentuando a sua essência, tal como Paulo também faz em Rom. 13:10.

Prova disso é que quando o escriba quis experimentar a Cristo com sua pergunta sobre o grande mandamento da lei, e Cristo respondeu com a "lei áurea", mereceu dele foi ELOGIOS--"Muito bem, Mestre, disseste bem". Por quê? É que percebeu que o Cristo não estava contradizendo nada da lei de Israel, como havia sempre aprendido (ver Mar. 12:28-34).

Vejamos o que disse Martinho Lutero sobre o mandamento do amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a sí mesmo:

    "Qual é o resumo da primeira tábua? Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda tua força, e de todo o teu entendimento"

    "Que é o resumo da segunda tábua? Amarás o teu próximo como a ti mesmo" O resumo principal de todos os dez mandamentos é o amor" Martinho Lutero, Catecismo Menor de Martinho Lutero, pág. 35, 36.
Está do Jeitinho como os adventistas e outros observadores do sábado ensinam: Amor a Deus (Primeira tábua), Amor ao próximo (Segunda tábua). Como vemos, não é invenção de adventista.

Semelhante a Lutero, vejamos o que disse Calvino sobre a Lei de Deus:

    "Os dez mandamentos da lei foram distribuidos em duas tábuas... Na primeira das quais estão os quatro primeiros pelos quais somos instruidos nas coisas que devemos a Deus...Na segunda tábua estão os seis mandamentos restantes nos quais se explica a caridade e seus ofícios que temos de prestar ao próximo, por amor de Deus. Por essa razão, nosso Senhor - como resgistram os evangelistas - resumiu sumariamente toda lei a dois artigos: "Que amemos a Deus de todo o nosso coração, de toda nossa alma e com todas nossas forças; e amemos ao nosso próximo como a nós mesmos." "Embora toda a lei esteja compreendida nesses dois preceitos, nosso Deus, para excluir qualquer pretexto de excusa, quis dar-nos uma mais completa explicação em dez mandamentos. - João Cavino, Instituición de la Religion Cristiana, pág. 33.
Quanto ao que outro preconceituoso de carteirinha diz aqui, se o sábado é coisa "sem importância", então Jesus não sabia o que dizia ao declarar que "o sábado foi estabelecido por causa do homem-anthropós, que é o mesmo homem-anthropós que deixa pai e mãe e une-se a sua mulher (Mat. 19:5, 6).

Ademais, nosso amigo IGNORA que essa questão da guarda do sábado não é nenhuma "novidade" de "sectários" no séc. XXI. Não sabe nada sobre as pesquisas históricas e arqueológicas havidas a respeito da questão, e de como se descobriu como Epifânio, um historiador palestino do IV século dá conta de como encontrou os "nazarenos" (cristãos oriundos da Igreja-mãe de Jerusalém), que fugidos da capital judaica pouco antes da sua destruição em 70 AD fixaram-se na região de Pela, ao norte. Epifânio os critica dizendo que nem deviam ser considerados cristãos, pois ainda GUARDAVAM O SÁBADO, entre outras práticas "judaicas". Mas eles eram "nazarenos", e não "moisesenos". . .

Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 12 Abr 2009 20:06


Olá, Grantynn

Grato por sua participação e comentários.

Eu nem havia lido o seu comentário antes de colocar o que expus no meu último quadro. Ali demonstro que Paulo não está falando do "amor" como SUBSTITUTO da lei, e sim como a sua SÍNTESE. Isso SEMPRE foi assim, pois Moisés mesmo sintetizou toda a legislação divina nessa mesma base em Deu. 6:5 e Lev. 19:18. Jesus está repetindo as palavras de Moisés, ao falar do "amor a Deus" e "amor ao próximo". Prova disso é que Paulo não se absteve de ser ESPECÍFICO ao apresentar as regras da lei aos Efésios e Romanos, como acentuei.

Aliás, o próprio Cristo recomendou ao jovem rico, DEPOIS de ter mencionado a "lei áurea": "Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos" (Mat. 19:17). Daí cita alguns, numa clara sinédoque (a parte pelo todo), como também faz Paulo em Rom. 13:8-10. Note que ele diz: "E se há qualquer outro mandamento. . ." Ele sabia que havia, não "outro", mas "outros". . .

E que Paulo não ensinava o fim da lei está claro na seguinte passagem que os anti-sabatistas fazem de conta que não consta dos seus escritos também:

"Anulamos, pois, a lei pela fé? De modo nenhum; antes estabelecemos a lei" (Rom. 3:31).

Eu diria que entre os evangélicos em geral (e jeovaístas, em particular) ocorrem 3 principais problemas na compreensão da Bíblia:

a - A incompreensão da razão da escolha divina de Israel.

A razão de Deus ter o Seu “povo escolhido” não foi só para conceder-lhe privilégios, mas uma MISSÃO. Nesse ponto muitos cristãos se confundem. Não entendem que Israel devia cumprir o papel de “testemunhas de IHWH” e luz das nações até os confins da Terra (Isa. 43:10, 11; 49:6).

Por isso Israel situava-se numa região do mundo ainda hoje tremendamente estratégica--a encruzilhada de três continentes--Europa, Ásia e África.

O papel de Israel era transmitir aos moradores da Terra o conhecimento do verdadeiro Deus, Sua lei e Seu plano de salvação [Ver Salmo 67].

O apelo divino para os estrangeiros unirem-se ao concerto com Israel em Isa. 56:2-7 (por sinal, a partir da observância do sábado) ocorre no contexto do ideal divino expresso no vs. 7, “a Minha casa será chamada casa de oração para TODOS os povos”.

b - A incompreensão do teor dos debates de Paulo sobre a lei.

A chave para entender isso é Rom. 9:30-32. Paulo diz que a fé NÃO ANULA a lei, e sim a CONFIRMA (Rom. 3:31), e diz que com a sua mente serve à lei de Deus (Rom. 7:25), a que traz o preceito “não cobiçarás”, sendo santa, justa, boa, espiritual (vs. 7, 8, 12, 14, 22), dela recomendando naturalmente aos GENTIOS de Éfeso e Roma os seus 5o., 6o., 7o., 8o., 9o. e 10o. preceitos (Efé. 6:1-3; 4:24-31; Rom. 13:8-10).

Paulo não condenava a lei, e sim o seu “uso ilegítimo” (1 Tim. 1:8)--tê-la como fonte de justiça, o que nunca representou o seu real papel. Esse uso errado da lei causou o tropeço da nação.

c - A incompreensão sobre o teor dos debates de Cristo quanto ao sábado.

Para isso basta perguntar: Qual era o teor de tais debates com a liderança judaica--SE deviam guardar o sábado, QUANDO guardar o sábado, ou COMO observar o dia no seu devido espírito?

Sabendo responder esta pergunta se terá a solução plena da questão.

Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Edmilson em 12 Abr 2009 20:21

Eu fiz um pequeno resumo, com todos os textos bíblicos, mostrando o meu entendimento sobre a questão da lei mosaica, o que inclue os 10 mandamentos e a guarda do sábado; já havia postado previamente em outro tópico mas vou repetir.

A lei de Deus é justa e boa

Romanos 7:12 E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.

Mas o homem pecador não consegue cumprir a lei perfeitamente

Romanos 7:14 Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.

Tiago 2:10 Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.

Quando o homem não consegue cumprir a lei, ele se torna réu da lei, e a pena é a morte, pois o salario do pecado é a morte

Gálatas 3:10 Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.

Assim a lei não conseguia levar o homem a uma condição justa diante de Deus

Romanos 8:3 Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;

Os sacrificios prescristos na lei não traziam um real perdão dos pecados, só apontavam pra necessidade de um sacrificio

Hebreus 10:4 Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados.

Hebreus 10:1 Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.

O homem precisava de um salvador; por isto que o objetivo maior da lei era conduzir a Cristo.

Gálatas 3:24 De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

Jesus é o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo; ele morreu pelos nossos pecados. Quando Jesus morreu na cruz ele instituiu o novo pacto no seu sangue; passou a ser o nosso sumo sacerdote e automaticamente mudou a lei

Hebreus 7:12 Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.

O homem estava sob a maldição da lei, mas Jesus morreu por nós e nos livrou desta maldição

Gálatas 3:13 Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;

Ao Jesus morrer ele libertou os crentes da condenação que estavam sob a lei e, de certa forma, cravou na cruz a lei mosaica

Colossenses 2:14 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.

Paulo explicou amplamente que a justiça perante Deus não vinha pelo cumprimento da lei (pois o homem não consegue cumprir perfeitamente a lei):

Romanos 3:20 Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado. 21 Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; 22 Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.

Gálatas 2:16 Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

O homem é justificado, ou considerado justo perante Deus por meio da fé

Romanos 3:28 Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.

Assim Paulo mostra várias vezes que não estamos mais debaixo da lei

Romanos 6:14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. 15
Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum.

Gálatas 5:18 Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.

Quando Jesus morreu ele pos fim a necessidade do cumprimento da lei

Romanos 10:4 Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.

Romanos 7:4 Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo

Romanos 7:6 Mas agora temos sido libertados da lei, tendo morrido para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.

Efésios 2:15 Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,

Na época de Paulo existiam muitos judaizantes, que queriam impor o cumprimento da lei mosaica, mas Paulo mostrou várias vezes que o cumprimento da lei não era necessário e até que quem achava que era necessário obedecer a lei mosaica não confiava no sacrifico de Cristo.

Gálatas 4:21 Dizei-me, os que quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei?

Gálatas 5:3 E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei.

Gálatas 5:4 Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.

Abs
Avatar de usuário
Edmilson
Forista
Forista
 
Mensagens: 507
Data de registro: 02 Nov 2008 18:35

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Edmilson em 12 Abr 2009 20:27

Outro texto que já tinha postado antes e que trata deste assunto:

Cristo veio para estabelecer um Novo Testamento por meio do seu sangue. Com o estabelecimento da Nova Aliança, a Antiga Aliança deixou de vigorar. Assim os cristãos já não estão mais debaixo da lei mosaica, mas como Paulo explicou estamos debaixo da lei de Cristo, que é uma lei melhor. Então podemos ver no NT que os cristãos não deveriam ser obrigados a seguir a lei mosaica, como se isto fosse um requisito para a salvação, por que como Paulo explica nós não conseguimos obedecer perfeitamente a lei e na verdade estaríamos nos colocando de baixo das maldições da lei mosaica. Assim cumprir a lei mosaica não é um requisito para um cristão. Mas Paulo também explica que a lei mosaica não é ruim em si, ela é boa, justa, santa e perfeita; e não existe nada de errado em alguem cumprir a lei mosaica ou se circuncidar ou fazer um ritual de purificação; os cristãos judeus que quisessem continuar fazendo isto não estavam pecando. E Paulo faz o ritual de purificação para provar isto. Ou seja não é um requisito, mas tambem não é errado ou pecado cumprir algo da lei.


Como comentei previamente com Cristo veio o cumprimento da lei e estamos sob uma nova lei, a lei de Cristo; estamos sob um novo testamento. Isto é bem claro no NT. A lei era uma sombra das coisas vindouras, ou seja era uma ilustração do que Jesus faria. No novo pacto temos uma lei melhor, um sumo sacerdote melhor, um templo melhor, como Paulo amplamente explica em Hebreus. Então, como Paulo explicou, não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça. E não estamos sem lei, mas debaixo da lei de Cristo.

É necessário tambem comentar que não existe nada de errado em praticar a lei mosaica. Um judeu não peca ao observar a lei. Mas se alguem pensa que pode se justificar diante de Deus por cumprir plenamente a lei esta pessoa está se enganando. Pois Paulo explica bem que se alguem quiser seguir a lei ele está obrigado a seguir toda a lei, o que é impossivel; é por este motivo que Paulo muitas vezes repete que a justiça diante de Deus não vem pela lei, mas pela fé em Jesus Cristo.
Avatar de usuário
Edmilson
Forista
Forista
 
Mensagens: 507
Data de registro: 02 Nov 2008 18:35

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Edmilson em 12 Abr 2009 20:30

E a resposta que tinha dado ao Brother A no outro tópico:

O grande problema da interpretação errada dos adventistas é achar que existe alguma separação, diferença ou superioridade entre os 10 mandamentos e os demais mandamentos da lei, quando não existe esta diferença na bíblia. É tanto que os maiores mandamentos da lei não fazem parte dos dez mandamentos.
Sendo assim, a bíblia é bem clara em afirmar que Cristo pois fim a lei mosaica, não estamos debaixo da lei mosaica, o que inclue os dez mandamentos, e tambem o mandamento do sábado; mas não quer dizer que estejamos sem lei, pois estamos debaixo da lei de Cristo, que é superior a lei mosaica, e que está expressa nos evangelhos e em todo o NT.


Colossenses 2:16 Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados,
Avatar de usuário
Edmilson
Forista
Forista
 
Mensagens: 507
Data de registro: 02 Nov 2008 18:35

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor alam_cruz em 12 Abr 2009 21:13

Grantynn escreveu:Brother A
Paulo parece dizer: Sejam assim e assado porque a Lei diz isso, aquilo, mais um pouco daquilo, porém se vocês praticarem o amor automaticamente estarão como que cumprindo toda a lei, tem o mesmo "peso" que tinham aqueles que acatavam cada particularidade da lei. Resumindo... dentro do novo conceito, aprendam o que é amor e sejam praticantes... este simples elemento tem a dimensão de toda a lei.
?


Ou seja, foi a msma coisa q eu falei ao mencionar as palavras de Jesus em Mat. 22:36-40 :geek:
Abaixo a Torre de Vigia, por nos ter roubado tanto tempo de nossas vidas e nos ter enchido de falsas utopias! Como é doce o sabor da liberdade e da verdadeira felicidade!
Avatar de usuário
alam_cruz
Forista
Forista
 
Mensagens: 320
Data de registro: 20 Nov 2008 09:19
Localização: Rio de Janeiro

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 13 Abr 2009 00:13


Primeiro, o Edmilson continua claramente com a mentalidade TJ, embora diga que aceita a doutrina da Igreja Ortodoxa (a não ser que já haja mudado de posição). Se ele aceita a doutrina da Igreja Ortodoxa tem que nos explicar como é que está tendo essa "recaída ideológica", pois a Igreja Ortodoxa, assim como a Católica e as protestantes tradicionais, ensinam, sim senhor, que OS 10 MANDAMENTOS TODOS seguem sendo normativos aos cristãos como regra de vida.

Por sinal, vejam o que eu encontrei num site da Igreja Ortodoxa:

http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/catequese/catecismo_visual61.html#3

Catecismo Visual da Igreja Ortodoxa
Arcebispo HIEROTHEOS
Metropolita de Nafpaktos

«Para guardar na memória»

* As Bem-Aventuranças

[Texto completo das mesmas]

* O Pai Nosso

[Idem quanto à famosa oração-modelo]

* Os 10 Mandamentos

[Reprodução quase integral de Êxo. 20:3-17]

Por outro lado, o Edmilson está demonstrando que NÃO ENTENDE a natureza dos debates de Paulo sobre a lei. Paulo não está condenando a lei, e sim o seu uso ilegítimo (como fonte de justiça), pois ele mesmo disse que a fé CONFIRMA a lei, e não anula (Rom. 3:31) e com a mente a serve (Rom. 7:25), sendo tal "lei de Deus" a que traz o preceito "não cobiçarás", e é santa, boa, justa, espiritual (vs. 12, 14, 22), dela recomendando naturalmente aos GENTIOS de Éfeso e Roma os seus 5o., 6o., 7o., 8o., 9o. e 10o. preceitos (Efé. 6:1-3; 4:25-31; Rom. 13:8-10). Eu já acentuei isso tudo, e mais de uma vez, mas Edmilson não dá um pio para tratar especificamente desses pontos. . .

O problema de Edmilson e outros anti-sabatistas é a velha e arraigada visão errada de que quem defende os mandamentos divinos está com isso buscando salvar-se pelas obras, o que é um tremendo equívoco.

Assim, amigo, NÃO PRECISAMOS DESSE DISCURSO de inutilidade de buscar salvação pela guarda da lei porque não é o que ensinamos.

Aliás, seria apropriado mostrar o que REALMENTE ensinam as Igrejas observadoras do sábado em seus documentos oficiais. Eis um texto que já temos postado em outros ambientes internéticos para esclarecimento dessa questão:

Muitos dão a entender que os adventistas do sétimo dia e outros crentes observadores do sábado são legalistas que se apegam à lei e ao mandamento do sábado para salvar-se. Contudo, tais pessoas se esquecem de citar uma obra oficial sequer dos adventistas ou outros cristãos sabatistas que isso confirme.

Reproduzimos abaixo o pensamento oficial das igrejas observadores do sábado, entre as quais a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e para que se constate que nada há do propalado legalismo e apego às obras visando à salvação. Isso se dá por dois motivos muito claros:

1o. - É antibíblico: Crer em salvação ainda que parcialmente pelas obras e ensinar isso choca-se com o teor todo do que as Escrituras ensinam, e os adventistas e demais observadores do sábado conhecem muito bem suas Bíblias para incorrerem em erro tão primário. Sabemos o que Paulo diz em Romanos, Gálatas, Efésios, e não iríamos jamais contrariar tão claras exposições do apóstolo. Todavia, no exame dos textos de Efés. 2:8 e 9, tão citados em círculos evangélicos, não podemos nos esquecer do verso seguinte, o 10. . .

2o. - É desnecessário: Não há nenhuma condição sine qua non para quem observa o mandamento do sábado de crer em salvação por obras por sua prática de guardar o dia do Senhor bíblico. Ou seja, não precisamos apelar a essa posição antibíblica de salvação por obras para defender a vigência e guarda do sábado, tanto quanto os demais cristãos não obtêm mérito por não adorarem imagens, por exemplo. Assim, se os evangélicos respeitam os termos do mandamento contra as imagens, acaso com isso se tornam legalistas e obtêm salvação por cumprir tal obra? Claro que não. O mesmo raciocínio se aplica à questão do sábado e a todos os demais mandamentos da lei divina.

Agora, eis abaixo a reprodução das declarações de fé oficiais de igrejas “sabatistas”:

* Declaração de fé dos batistas do sétimo dia sobre a salvação e a obediência à lei divina:

Como outros batistas, os batistas do sétimo dia [crêem]:

- Na salvação pela graça mediante fé em Jesus Cristo
- Na Bíblia como Palavra inspirada de Deus. A Bíblia é nossa única autoridade tanto para fé quanto para nossa conduta diária.
- No batismo por imersão dos crentes, testemunhando nossa aceitação de Cristo como Salvador e Senhor.

Mais adiante explicando a diferença básica com os demais crentes batistas, explicam:

“Observamos o sétimo dia da semana como o Santo Dia de Deus como um ato de obediência amorável, não como um meio de salvação. A salvação é uma dádiva gratuita de Deus mediante Jesus Cristo. O sábado propicia aos crente um tempo específico para honrar e adorar o Criador. É o gozo do sábado que torna os batistas do sétimo dia um pouquinho diferentes”.


* Posições oficiais adventistas do sétimo dia sobre a salvação e a obediência à lei divina:

Do documento oficial da Igreja Adventista do Sétimo Dia “Nisto Cremos”:

10. A Experiência da Salvação:

Em infinito amor e misericórdia, Deus fez com que Cristo, que não conheceu pecado, Se tornasse pecado por nós, para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus. Guiados pelo Espírito Santo, sentimos nossa necessidade, reconheçamos nossa pecaminosidade, arrependemo-nos de nossas transgressões e temos fé em Jesus como Senhor e Cristo, como Substituto e Exemplo. Esta fé que aceita a salvação advém do divino poder da Palavra e é o dom da graça de Deus. Por meio de Cristo somos justificados, adotados como filhos e filhas de Deus e libertados do domínio do pecado. Por meio do Espírito, nascemos de novo e somos santificados; o Espírito renova nossa mente, escreve a lei de Deus, a lei de amor, em nosso coração, e recebemos o poder para levar uma vida santa. Permanecendo nEle, tornamo-nos participantes da natureza divina e temos a certeza de salvação agora e no Juízo. (Sal. 27:1; Isa. 12:2; Jonas 2:9; S. João 3:16; II Cor. 5:17-21: Gál. 1:4; 2:19 e 20; 3:13; 4:4-7; Rom. 3:24-26; 4:25; 5:6-10; 8:1-4, 14, 15, 26 e 27; 10:7; I Cor. 2:5; 15:3 e 4; I S. João 1:9; 2:1 e 2; Efés. 2:5-10; 3:16-19; Gál. 3:26; S. João 3:3-8; S. Mat. 18:3; I S. Ped. 1:23, 2:21; Heb. 8:7-12).

18. A Lei de Deus:

Os grandes princípios da lei de Deus são incorporados nos Dez Mandamentos e exemplificados na vida de Cristo. Expressam o amor, a vontade e os propósitos de Deus acerca da conduta e das relações humanas, e são obrigatórias a todas as pessoas, em todas as épocas. Estes preceitos constituem a base do concerto de Deus com Seu povo e a norma no julgamento de Deus. Por meio da atuação do Espírito Santo, eles apontam para o pecado e despertam o senso da necessidade de um Salvador. A salvação é inteiramente pela graça, e não pelas obras, mas seu fruto é a obediência aos mandamentos. Essa obediência desenvolve o caráter cristão e resulta numa sensação de bem-estar. É uma evidência de nosso amor ao Senhor e de nossa solicitude por nossos semelhantes. A obediência da fé demonstra o poder de Cristo para transformar vidas, e fortalece, portanto, o testemunho cristão. (Êxo. 20:1-17; Mat. 5:17; Deut. 28:1-14; Sal. 19:7-13; João 14:15; Rom. 8:1-4; I João 5:3; Mat. 22:36-40; Efés. 2:8). - Destaques acrescentados.


* Declaração de Fé do Grupo Judaico-Messiânico Sobre os Meios de Salvação:

Tópicos III e V:

Cremos que--A única esperança para a redenção (salvação) do homem é através da expiação feita pelo Messias (Lev. 17:11, Isaías 53, Dan. 9:24-26) resultando em regeneração pelo Ruach HaKodesh [Espírito Santo]; As Escrituras prometem duas vindas do Messias: Primeira vinda: 1. Prometido em Daniel 9:24-26; 2. Seu propósito era expiar nossos pecados. (Daniel 9:24-26, Isaías 53).


Quanto ao que Rutherford alega, ele está certo quanto à necessidade de um dia regular, semanal, de descanso. Postarei a seguir um artigo de caráter científico demonstrando isso. Aliás, um pastor evangélico americano, chamado Michael Cesar, que é também médico, fala da bênção divina do sábado e seus benefícios físicos e espirituais, ilustrando até com um fato que eu desconhecia. Conta ele que Hitler, querendo levar vantagem em tudo, forçava os funcionários de suas fábricas de armas e munições, em preparo para a 2a. Guerra Mundial, a trabalharem direto sete dias, só parando à noite para descansar.

Não funcionou. Ficavam nervosos, doentes, a produção caiu drasticamente. Resultado, o führer resolveu voltar atrás com o regime de seis dias de trabalho e um de descanso.

Editado pela última vez por Brother A em 13 Abr 2009 00:58, no total de 6 vez
Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Brother A em 13 Abr 2009 00:27


Olá, Alam

Esse argumento que repete foi CONTESTADO por mim, quando demonstrei que Cristo não está apresentando a regra dupla de amor a Deus e ao próximo como SUBSTITUTO e sim como SÍNTESE da lei, reiterando o que Moisés já havia dito em Deu. 6:5 e Lev. 19:18.

Percebe onde está o problema nesses debates? É que muitos participante IGNORAM OSTENSIVAMENTE as contestações claras que são feitas para voltarem a repetir os meeeeesmos argumentinhos prediletos, que já foram derrubados.

Por que não se dá ao trabalho de RECONHECER o que eu disse? O que está repetindo aqui é o erro crasso e clássico de pensar que Jesus e Paulo apresentam o "amor" como SUBSTITUTO da lei, quando eles claramente são ESPECÍFICOS também, tratando de mandamentos a serem cumpridos, repetindo aqueles mesmo da lei conhecida pelos judeus, como em Mateus 19:17ss e Paulo em Efé. 6:1-3; 4:25-31, além de Tiago em 2:8-10.

Mas, vamos avançar. Eis um excelente material de caráter CIENTÍFICO que mostra a validade do preceito do sábado:


Ciência Confirma a Sabedoria da Regra do Sábado

BIORRITMO E O SÉTIMO DIA

A ciência está ampliando o conhecimento sobre biorritmos. Sabe-se que para várias funções orgânicas existe o que cientistas chamam de “Ritmo do Sétimo Dia”. Algo ocorre em nosso corpo em certas circunstâncias no sétimo dia do evento, seja uma cirurgia, transplante ou liberação de hormônios.

Dr. Halberg do Laboratório de Cronobiologia da Universidade de Minesota, nos Estados Unidos, é um líder na pesquisa de biorritmo naquele país. Em colaboração com outros cientistas de várias nações ele documentou o Ritmo do Sétimo-Dia no ser humano (Halberg F., and E. Halberg. “Conceptualization and Validation of a Circaseptenary Clinospectral System”. Abstracts, Second International Conference on Immunopharmacology, Sheraton Park, Washington, D.C., July 5-10, 1982, 340-341).

Monitoraram os batimentos cardíacos de um homem durantes vários meses enquanto ele permanecia em um ambiente totalmente isolado com todas as condições controladas e nada do mundo exterior poderia interferir com seus ritmos internos corporais. Quando os dados foram analisados, seu coração mostrou claramente um Ritmo do Sétimo Dia (McCluskey, E.S. “Light-Dark Cycle Entrainment of Circadian Rhythms in Man”. The Biologist 65:17-23, 1983).

Usando-se poderosos métodos de computadores, um grupo de cientistas analisou cuidadosamente modelos de produção de hormônios esteróides coletados da urina de um homem saudável durante um período de 15 anos. Os resultados das análises hormonais mostraram que a excreção desses hormônios também ocorria num Ritmo do Sétimo Dia (Halberg, F., M. Engeli, C. Hamburger, et al. “Spectral Resolution of Low-Frequency, Small-Amplitude Rhythms” in Excreted 17-”Ketosteroids; Probably Androgen-inducced Circaseptan Desynchronization”. Acta Endocrinológica. Suppl. 103:5-53, 1965).

Outro grupo de pesquisadores estudou mais do que 70 homens jovens que tiveram um ou mais dentes molares extraídos. Cada dia após a cirurgia, suas faces e maxilares foram medidos cuidadosamente. É de se supor que o edema (inchação) na face diminuiria nos próximos dias após a cirurgia para a extração dos dentes. Mas isso não ocorreu. Verificou-se a presença de um Ritmo do Sétimo Dia quanto í inchação local (Pollman, L. and G. Hildebrandt. “Long-Term Control of Swelling After Maxillo-Facial Surgery: A Study of Circaseptan Reactive Periodicity”. Inter. J. Chronobiology, 8:105-114, 1982).

Observou-se também que em várias cirurgias de transplante de rim ocorre este ritmo de sete dias, já que se verificou que a rejeição ocorria após sete dias da operação (De Vecchi, A., F.Halberg, R.B. Sothern, et al. “Circaseptan Rhythmic Aspects of Rejection in Treated Patients with Kidney Transplants”. Inter. J. Chronobiology, 5:432, 1978).

Esse tipo de biorritmo é chamado de “circaseptano”, também encontrado em macacos, cachorros, ratos e outros organismos. Isso parece revelar que o Ritmo do Sétimo Dia é um mecanismo normal existente na fisiologia de organismos vivos.

Alguns cronobiologistas crêem que esse tipo de biorritmo -- o do sétimo dia -- pode revelar que os organismos precisam de uma certa pausa como um estímulo para seguirem vivendo.

Durante a Revolução Francesa (1789-1799), cientistas seculares tentaram revolucionar a semana de sete dias, instituindo uma semana de dez dias. Foi um caos. O matemático e senador La Place teve um papel importante em restaurar o modelo anterior dos sete dias na semana. Simplesmente não funcionou!

E Moisés, pioneiro em medicina preventiva e melhoras sociais, escreveu: “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou” (Êxodo 20:8-11). Aliás, este é o quarto mandamento da Lei de Deus. O único que descreve quem é o Deus dos outros nove mandamentos.

Que paralelo fantástico entre as Escrituras Sagradas e a moderna ciência! Sabemos hoje que um dos componentes para redução do estresse é o descanso semanal, a ênfase na importância da dimensão espiritual do ser humano e as práticas naturais de saúde. Jesus foi totalmente científico quando disse: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Marcos 2:27). Ele falava desse biorritmo há 2 mil anos, e do amor de Deus em preparar um dia de descanso, de reflexão, de serviço espiritual especial e de culto ao Criador dos céus e da Terra.

(Bernell Baldwin, Ph.D., professor de neuro-fisiologia e fisiologia aplicada no Wildwood Lifestyle Center and Hospital, pesquisador e articulista do The Journal of Health and Healing. http://www.wildwoodlsc.org)

http://michelsonborges.blogspot.com/200 ... o-dia.html

Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Re: TJ's (e Outros Religiosos) e a Questão da Lei Divina

Nova mensagempor Edmilson em 13 Abr 2009 09:48

Brother A,

Frequento a igreja ortodoxa mas tenho pensamento proprio, então aqui neste espaço sempre que falar, falo por mim mesmo e não pela igreja ortodoxa, contudo eu acredito que o meu pensamento está em harmonia com o ensino da igreja. Antes vou postar a posição da igreja ortodoxa:

Antes e durante os tempos apostólicos, o Sábado era comemorado apenas pelos judeus. Os pagãos nunca haviam ouvido falar disso. Muitos judeus, após tornarem-se Cristãos, continuaram a observar o dia de Sábado. No entanto, eles também começaram a observar o dia após o Sábado, que havia sido instituído como o "Dia do Senhor" em comemoração a Ressurreição de Cristo. O que acontecia na prática era que os primeiros judeus Cristãos, celebravam dois dias na semana – o Sábado, como o dia do descanso, e o Dia do Senhor (Domingo) – como um dia de oração comunitária de comunhão. Ao converter os pagãos ao Cristianismo, os apóstolos não lhes exigiam a observância do Sábado (ou qualquer outro feriado judeu) mas lhes ensinavam a reunir-se em oração comunitária e comunhão no "Dia do Senhor." Gradualmente, à medida que o número de Cristão convertidos do paganismo aumentou em relação aos convertidos judeus, o antigo Sábado foi esquecido, e o Domingo tornou-se o novo Sábado Cristão. E assim os apóstolos deram ao quarto mandamento um novo significado Cristão.


Assim a igreja apesar de valorizar os 10 mandamentos como um modelo da lei moral de Deus nunca ensinou uma obrigatoriedade da guarda do sábado. Por que?

Como comentei a biblia deixa claro que estamos debaixo da lei de Cristo e não debaixo da lei mosaica. Apesar de não serem a mesma lei, uma é baseada na outra, até por que provem do mesmo autor. Assim a lei de Cristo, como expressa por seus ensinos no NT, se baseia nos ensinos morais da lei mosaica, incluindo os 10 mandamentos. Mas apesar de se basear nas leis morais da lei mosaica, o que inclue os 10 mandamentos, não é a mesma lei mosaica. Assim estamos debaixo da lei de Cristo que é similar aos preceitos morais da lei mosaica e dos 10 mandamentos, mas não é a mesma lei. Por exemplo a lei mosaica e os 10 mandamentos são chamados na biblia de o ministerio da morte. veja:

2Co 3:7 E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, 8 Como não será de maior glória o ministério do Espírito?

Isto por que, por exemplo, na lei mosaica o castigo para quem violasse o sábado era a morte (Ex 31.12-17). Se somos obrigados a guardar o mandamento deveriamos nos sujeitar a penas pela quebra do sábado. Mas como lemos em 2Co 3:7 não estamos debaixo do ministerio da morte mas do ministerio do Espirito. Este texto abaixo é bem claro:

“Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita. Porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo da lei. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus” (Gl 3.19-26).

Assim meu amigo eu acho que quem não entende a natureza dos debates sobre a lei é voce. Vamos analisar Rom 3:31, dentro do seu contexto:

19 Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus. 20 Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado. 21 Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; 22 Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença. 23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; 24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. 25 Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; 26 Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus. 27 Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé. 28 Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei. 29 É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,
30 Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão. 31 Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.

Ao Paulo dizer "anulamos pois a lei pela fé?? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei" será que ele está ensinando que somos obrigados a cumprir a lei mosaica??? Claro que não pois logo antes ele mesmo afirma que Deus é Deus dos judeus e tambem dos gentios e que a justiça perante Deus não vem do cumprimento da lei mas da fé em Cristo. E o que ele quer dizer? Que a fé em Cristo é o cumprimento ou o estabelecimento ou o proposito maior da lei mosaica.

É interessante que Paulo recomendou a observancia dos 5º, 6º, 7º, 8º, 9º e 10º mandamento, mas não recomendou a observancia do sábado. Na verdade o único mandamento que não é repetido na lei de Cristo é o 4º mandamento.

Tambem no concilio de Jerusalem, registrado no livro de Atos, quando se discutia se era necessario aos cristãos gentios serem circuncidados, foi decidido que les não necessitavam guardar a lei mosaica, apenas se abster da fornicação e das coisas sacrificadas a idolos e do estrangulado e do sangue. E não se comenta nada que eles deveriam tambem guardar o sábado. Na ocasião mais propicia para este assunto, os apostolos não comentam nada. Então se depreende que o sábado estava incluso nas coisas que os cristãos gentios não necessitavam guardar, assim como eles não precisavam ser circuncidados.

Na verdade eu não comentei nada sobre salvação pelas obras.

Abs
Avatar de usuário
Edmilson
Forista
Forista
 
Mensagens: 507
Data de registro: 02 Nov 2008 18:35

Saiba o que vem a ser o "tererê teológico". . .

Nova mensagempor Brother A em 13 Abr 2009 11:15


Muito bem, então temos aí já algumas coisas melhor definidas. O que vemos é o acatamento ao que eu chamo "tererê teológico", uma certa "moda" que prevalece nos meios religiosos modernos.

O que vem a ser isso? Quem já visitou o Paraguai deve ter reparado como os nativos ficam bebericando o dia inteiro, através de um canudo, um chazinho numa cuia--o chamado tererê. Eu perguntei a um amigo em Asunción que tipo de chá seria aquele, se seria como o chimarrão gaúcho, e me explicaram que cada um tem sua receita própria. Quem gosta de algo mais doce, coloca erva-doce. Quem aprecia algo mais picante, acrescentará pimenta-do-reino. Quem prefere o gostinho da hortelã, preparará o seu chazinho particular com essa erva como ingrediente.

Assim se dá no campo religioso. Há o "tererê teológico" pelo qual as pessoas criam o seu "menu" do que vai crer e aceitar, e do que vai rejeitar. Então, a quem não convém a guarda do sábado, isso será rejeitado. Quem adora uma bisteca de porco, ou tem uma pizzaria onde tem que vender pizzas de "pepperoni", irá recusar terminantemente qualquer das restrições alimentares bíblicas. Quem não quer saber de contribuir regularmente para manutenção do ministério, rejeitará de pronto a idéia do dízimo. Interessante como essas questões mostram que as pessoas não querem "interferência da religião" na administração do seu tempo, alimentação e dinheiro.

Onde a religião "interfere" nos seus interesses nesses campos, a rejeição será imediata. Isso se dá em grande medida, não por profundas convicções de ensinos bíblicos, mas como fruto do mero EGOÍSMO HUMANO. . .

Isto posto, vamos analisar alguns dos pontos levantados pelo Edmilson. Vejamos alguns ERROS patentes de suas exposições.

a - Estar "debaixo da lei" não tem o sentido que ele dá porque até agora não nos explicou POR QUE, o "debaixo da lei" só se aplica à guarda do mandamento do sábado, enquanto a obediência de nenhum dos demais NOVE do Decálogo leva o indivíduo a tal condição. Pode nos explicar isso, amigo Edmilson?

b - A "lei de Cristo" sob a qual Paulo disse estar NÃO É nenhuma outra lei mais "user friendly". Quer uma prova? Paulo NÃO DIZ a que lei se refere ao declarar retoricamente que está debaixo da "lei de Cristo" em 1 Cor. 9:21, mas deixa uma pista exatamente em Gál. 6:2: "Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo".

Pronto, está resolvido: a "lei de Cristo" é a da solidariedade humana. Ora, é a MESMA que Jesus menciona em Mat. 22:36-40, "amor ao próximo", o que constitui uma SÍNTESE da lei divina já exposta por. . . MOISÉS! Pois é, Cristo está apenas REITERANDO os princípios que Moisés havia referido como fundamento da lei de Deus--amor a Deus e amor ao próximo (Deu. 6:5; Lev. 19:18). Logo, a lei de Deus e a lei de Cristo são uma só e a mesma.

c - O desenvolvimento histórico da guarda do domingo não é devidamente coberto pelo trecho que ele expôs. A coisa não é tão simples assim. O domingo foi adotado ILEGITIMAMENTE pela Igreja apostatada de Roma em função da COVARDIA de seus líderes que temiam as perseguições do Imperador Adriano, de Roma. O que se deu é que após a rebelião dos judeus em 135 AD, a chamada Revolta de Bar-Kocheba, os judeus passaram a ser tenazmente perseguidos pela capital do Império e por todas as províncias romanas, e a prática da religião judaica, particularmente a guarda do sábado, passou a ser proibida pelas autoridades romanas.

A fim de serem "politicamente corretos", e com medo de serem identificados com os judeus (pois para os romanos os cristãos inicialmente eram vistos como mera seita judaica--seguidores de um profeta judeu, praticantes de festivais judaicos, como o sábado e a Páscoa em 14 de Nisã), os líderes cristãos de Roma passaram a mudar as coisas na religião para PARECEREM-SE MENOS COM OS JUDEUS (cumprimento de Atos 20:29, 30). Uma das primeiras providências para tanto foi alterar a data da Páscoa, de 14 de Nisã para o "domingo de Páscoa", o que causou a famosa CONTROVÉRSIA QUATRODECIMANA. Por isso até hoje os ortodoxos têm data diferenciada da Páscoa, com relação à Igreja Católica, porque as Igrejas do Oriente não aceitaram essa alteração imposta pelo bispo de Roma.

Mais tarde, o festival solar dos romanos, o dies solis, foi adotado sob o pretexto de que assim como Jesus é o Sol da Justiça, fazia todo o sentido acatar o "dia do Sol" em Sua homenagem, em lugar do sábado.

Dados muito mais detalhados a respeito estão disponíveis no monumental livro Do Sábado Para o Domingo, do Dr. Samuele Bacchiocchi, o primeiro e, possivemente, único não-católico a doutorar-se pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Especialista em História Eclesiástica, o Dr. Bacchiocchi teve acesso às bibliotecas vaticanas, riquissimas em informações sobre história da Igreja, na composição de seu livro, que é uma adaptação de sua tese doutoral na sua graduação na referida universidade católica, fundada há mais de 450 anos por Inácio de Loyola.

E o melhor é que temos a anunciar que o livro completo, em português e em formato eletrônico, está disponível a quem se interessar. Basta confirmar tal interesse pelo e-mail atalaiadesiao@yahoo.com.br que atenderemos com prazer qualquer interessado, remetendo o livro todo (de mais d 300 páginas) inteiramente grátis.

A obra de Bacchiocchi foi altamente elogiada por eruditos católicos e protestante, pelo teor científio da pesquisa do Dr. Bacchiocchi. Tanto que os católicos podem lê-lo sem problema, pois conta com o Imprimatur da Igreja Católica, tendo sido impresso no seu original em inglês na gráfica da própria 'Gregoriana'.

Pois bem, mas que tal detalharmos melhor essa questão de lei de Deus/lei de Cristo num estudo objetivo e didático? Faremos isso no nosso próximo quadro.

Editado pela última vez por Brother A em 13 Abr 2009 15:18, no total de 6 vez
Brother A
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 16 Dez 2008 12:54

Próximo

Retornar para Crenças, Doutrinas e História

Quem está online

Usuários vendo este fórum: Altair Rocha, Fêconfusa e 56 visitantes